O mundo está mudando; o ‘Mundialíssimo’ também

São tempos de mudança e, a partir desta quinta-feira (2), o blog “Mundialíssimo” terá nova direção.

Após quase quatro anos e 184 postagens à frente do blog, o repórter Diogo Bercito se despede da plataforma e parte para novas aventuras. Quem quiser continuar acompanhando seu trabalho poderá sempre encontrá-lo no blog “Orientalíssimo”.

O novo autor da página sou eu, Daniel Avelar. Entre 2015 e 2017, trabalhei como repórter da editoria Mundo desta Folha. Sou graduado em Relações Internacionais pela Universidade de São Paulo e, atualmente, sou mestrando em jornalismo de guerra e conflito pelo programa Erasmus Mundus.

Mudam as mãos por trás do blog, mas não seu propósito. O leitor ou a leitora continuará encontrando aqui publicações que explicam, tintim por tintim, fatos importantes e curiosos do noticiário internacional.

Desde que foi inaugurado, em setembro de 2014, o “Mundialíssimo” acompanhou algumas das principais mudanças pelas quais o mundo passou. Relembre, abaixo, acontecimentos importantes no período e que foram registrados no blog:

1. O GOVERNO DE DONALD TRUMP

Contrariando todas as previsões, Donald Tump foi eleito presidente dos Estados Unidos em novembro de 2016. Ao chegar ao poder, o republicano centrou fogo sobre imigrantes e refugiados, deu voz a setores de extrema-direita nos EUA e gerou atritos com aliados europeus. Entretanto, uma de suas principais promessas de campanha –construir um muro ao longo da fronteira com o México— ainda não saiu do papel. Relembre:

5 livros para entender o governo de Donald Trump

2. CRISE DE REFUGIADOS NA EUROPA

O aumento do fluxo de refugiados em direção a países europeus nos últimos anos gerou uma crise humanitária no Mediterrâneo e contribuiu para que partidos xenófobos aumentassem sua influência no continente. Ainda assim, o número de pedidos de asilo tem caído e a Europa está longe de ser a região mais afetada pela crise. Relembre:

Qual é a dimensão real da tal crise de refugiados na Europa?

3. “BREXIT”

A decisão do Reino Unido de deixar a União Europeia, tomada em plebiscito em junho de 2016, segue gerando incertezas sobre o futuro do país. Enquanto o governo da primeira-ministra Theresa May enfrenta dificuldades para negociar os termos da retirada do bloco europeu, cidadãos britânicos e estrangeiros aguardam com receio as mudanças que estão por vir. Relembre:

Artista britânico resume brexit em seis ilustrações

4. ASCENSÃO E DECLÍNIO DO EI

Em 2014, o mundo assistiu ao impressionante avanço da facção terrorista Estado Islâmico sobre porções da Síria e do Iraque, desestabilizando o Oriente Médio e inspirando radicais a realizar atentados ao redor do mundo. Com o apoio da coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos, tropas da região expulsaram os extremistas de seus principais bastiões nos últimos anos. Ainda que com recursos bastante reduzidos, a facção segue ativa. Relembre:

O que é o Estado Islâmico?

5. DISTANCIAMENTO ENTRE RÚSSIA E OCIDENTE

Nos últimos quatro anos, o relacionamento entre a Rússia de Vladimir Putin e países do Ocidente, que já vinha se deteriorando, piorou. Além das intervenções de Moscou nos conflitos na Ucrânia e na Síria, contribuíram para o distanciamento diplomático as acusações de que o governo russo interferiu nas eleições americanas em 2016 e envenenou um ex-espião em solo britânico em março –o Kremlin nega responsabilidade pelos incidentes. Relembre:

7 tuítes do governo russo provocando o Reino Unido

6. DETERIORAÇÃO DA CRISE NA VENEZUELA

Sob o ditador Nicolás Maduro, a Venezuela enfrentou nos últimos anos a deterioração da situação econômica e humanitária. A crise tem provocado o desabastecimento de itens básicos, gerado protestos violentos e intensificado a pressão de países da região contra o regime chavista. Relembre:

O que ler para entender a crise na Venezuela?

E aí, sobre quais assuntos você gostaria de ler neste blog? Entre em contato comigo pelo e-mail daniel.avelar.guimaraes@gmail.com.