Por que 2/10/2017 foi o dia mais triste no Twitter?

Por Diogo Bercito

Não, não é impressão sua. Segunda-feira passada (2) foi o dia mais triste do mundo.

Ao menos no Twitter. O índice do Hedonometer, ferramenta que mede a felicidade nessa rede social, chegou a um nível de 5,77 nesta semana, coincidindo com o massacre de Las Vegas, que deixou ao menos 59 mortos e mais de 500 feridos. Foi o tiroteio mais letal da história dos EUA.

O recorde de infelicidade no Hedonometer havia sido 5,84 durante outro tiroteio, dessa vez em Orlando, no ano passado, com a morte de ao menos 49 pessoas. O terceiro dia mais triste foi 9 de novembro de 2016, após a eleição de Donald Trump como presidente dos Estados Unidos — chegou a 5,87 na escala. Por outro lado, a data mais feliz foi o Natal de 2008, com um score de 6,36.

No gráfico abaixo, é possível enxergar as oscilações em uma escala de tempo. Clique para ampliar.

Gráfico do Hedonometer. Crédito Reprodução

A ferramenta foi inventada por Peter Dodds e Chris Danforth, da Universidade de Vermont. A escala é feita a partir de frases que começam com “sinto” ou “estou sentindo”, em inglês, e atribui uma nota de felicidade para cada texto de 1 a 9. São medidas 50 milhões de mensagens de maneira aleatória. A média costuma ficar em 6 pontos, não muito acima do recorde infeliz desta semana.

As oscilações são previsíveis, segundo os matemáticos, ouvidos pelo site Vox.com. Há ondas de tristeza após desastres naturais e atentados. Os dias felizes incluem feriados e celebrações no estilo casamento real. Há limitações óbvias, reconhecidas pelos cientistas — os usuários de Twitter não representam a população de maneira fiel, e as mensagens públicas não necessariamente indicam os sentimentos pessoais. Àqueles curiosos: o site do Hedonometer explica a sua metodologia.

Gráfico do cálculo de felicidade no Twitter. Crédito Reprodução