Dizemos o brexit, ou a brexit? Europa discute o sexo da saída britânica

Por Diogo Bercito

Este Mundialíssimo blog não vem hoje para responder se o “brexit” — o divórcio entre Reino Unido e União Europeia — vai de fato acontecer. Ou como vão ser as negociações durante os próximos anos, com quais resultados. Tampouco importa se o “brexit” vai ser duro ou mole, uma discussão real em andamento no Parlamento britânico.

Este post discute uma questão que, apesar de parecer trivial, tem levado a debates na União Europeia: dizemos “o brexit” ou “a brexit”? O assunto parece especialmente curioso ao jornal britânico “Guardian”, levando-se em conta que a língua inglesa não tem gênero e, portanto, a dúvida não foi levantada por lá.

Por ora, o “brexit” é um menino.  É como o termo tem sido utilizado, por exemplo, na França: le brexit. Isso porque palavras importadas costumam chegar aos franceses no masculino, e também as terminados em “t” (exceto casos como “nuit” e “forêt”). Mas o gênero pode ser provisório, pois a Academia Francesa ainda não se pronunciou sobre a celeuma. Na Espanha o “brexit” é também um señor: el brexit. Pela mesma razão francesa de que empréstimos costumam chegar à língua no masculino. É o mesmo caso do português — esta Folha escreve “o brexit”.

A Alemanha também decidiu-se pelo masculino, mesmo que diversos substantivos terminados em “it” costumem ter gênero neutro nessa língua germânica (“das Fazit”, conclusão, ou “das Dynamit”, dinamite). O “Guardian” supõe que a decisão possa ter sido tomada em relação ao termo “saída”, que em alemão diz-se “der Austritt” e é masculino. “Brexit” vem, afinal, do inglês “exit”, “saída”.

O país do contra, por enquanto, é a Itália. A Accademia della Crusca publicou uma longa explicação sobre por que o “brexit” é uma signora ali. Ainda há, no entanto, debate a respeito das opções: brexit sem artigo; il brexit ou la brexit. Segundo a academia, “exit” significa “uscita”, que é feminino em italiano. Além disso, palavras estrangeiras que descrevem “cenários complexos”, como “aquecimento global”, costumam ser femininas no italiano.