5 mapas sobre a crise dos refugiados na Europa

Por Diogo Bercito

Líderes da União Europeia vão se reunir, na sexta-feira (16), para uma cúpula em Bratislava. Uma das questões mais urgentes para o debate será a crise dos refugiados. A Alemanha quer abrir as portas, a Hungria quer fechá-las, e no meio-tempo centenas de milhares de pessoas vagam pelo continente fugindo da guerra e da pobreza de seus países-natais.

Mais de um milhão de refugiados chegou ao continente entre janeiro de 2015 e março de 2015. Quase metade deles (47%) eram sírios — vindos de um país devastado pela guerra civil desde 2011. Mas onde estão esses refugiados, e como alguém pode ajudá-los?

O Mundialíssimo blog reúne aqui cinco mapas que ajudam a explicar essa crise. No primeiro deles, é possível consultar informações para doar ou se voluntariar. O segundo é uma representação detalhada de como um refugiado vive no norte da França. O terceiro oferece uma perspectiva histórica. O quarto é exemplo de como essas mesmas ferramentas podem servir para prejudicar os refugiados, nas mãos de grupos xenófobos. Por fim, o último mapa traz uma reflexão sobre a própria tarefa de mapear esses campos.

 

***

 

1. MAPA DE VOLUNTÁRIOS E REFUGIADOS
Este projeto mapeia campos de refugiados na Europa e grupos de voluntários. É possível obter informações sobre a condição dos campos e que doações específicas são necessárias. Há detalhes de contato, páginas de Facebook e endereços aos interessados. Os campos são classificados por cor, a partir da urgência de ajuda.

Mapa com informações sobre refugiados e voluntários. Crédito Reprodução
Mapa com informações sobre refugiados e voluntários. Crédito Reprodução

 

2. MAPFUGEES
Mapas detalhados de dois campos no norte da França, Calais e Dunquerque. O projeto é desenvolvido com a ajuda dos próprios refugiados, e contêm informações práticas, como a localização de banheiros. O mapa de Calais, por exemplo, registra com precisão as lojas informais e as mesquitas operando dentro do campo.

Mapa detalhado do campo de Calais, no norte da França. Crédito Reprodução
Mapa detalhado do campo de Calais, no norte da França. Crédito Reprodução

 

3. O PROJETO DOS REFUGIADOS
Projeto que mostra a progressão da crise de refugiados desde 1975. É possível consultar o número de pessoas que saiu de um país específico, e também ver para onde migraram. O mapa também destaca notícias relevantes que agravaram a situação humanitária, incrementando o fluxo de refugiados no período.

Projeto registra fluxo de refugiados desde 1975. Crédito Reprodução
Projeto registra fluxo de refugiados desde 1975. Crédito Reprodução

 

4. SEM REFUGIADOS NO MEU QUINTAL
O nome deste mapa, “Kein Asylantenheim in meiner Nachbarschaft”, pode ser traduzido como “sem centros de refugiados no meu quintal”. Há informações sobre a localização de refugiados ao redor da Alemanha. Segundo a rede alemã DW, o projeto tem vínculos com grupos neo-nazistas. O Mundialíssimo prefere não disponibilizar o link.

Mapa ligado a grupo neo-nazista, com localização de refugiados. Crédito Reprodução
Mapa ligado a grupo neo-nazista, com localização de refugiados. Crédito Reprodução

 

5. CARTOGRAFIA DO CONTROLE
O arquiteto Shahed Saleem mapeou o campo de refugiados de Calais, no norte da França, em um projeto artístico exibido no Projeto Museu de Migração. O primeiro objetivo de Saleem era registrar a variedade humana e as micro-relações estabelecidas no local. Mas, com a convicção de que o próprio ato de mapear está relacionado ao projeto colonialista, ele decidiu mapear o campo a partir de suas percepções subjetivas. Clique aqui e aqui se estiver interessado nesse debate.

Projeto do arquiteto Shahed Saleem. Crédito Divulgação
Projeto do arquiteto Shahed Saleem. Crédito Reprodução