O que está acontecendo em Ferguson, nos EUA?

Por Diogo Bercito

Os protestos destes dias em Ferguson, nos EUA, são por vezes explicados como uma consequência do aniversário… dos protestos em Ferguson. Mas esse raciocínio não ajuda muito quem, em primeiro lugar, não faz ideia do que aconteceu nessa cidade americana em 2014. Se é o seu caso, caro leitor, você fez bem em vir a este Mundialíssimo blog.

Abaixo, leia quatro respostas para quatro perguntas.

O QUE ACONTECEU EM FERGUSON, EM 2014?
Os protestos começaram, segundo este resumo, com a morte de um jovem negro de 18 anos chamado Michael Brown. Ele foi baleado pelo policial Darren Wilson em 9 de agosto de 2014. O garoto estava desarmado e não tinha passagem pela Polícia. A morte de Brown levou a uma série de protestos no país contra a violência policial e o racismo. A reação das forças de segurança, que utilizaram equipamento militar para reagir às manifestações, piorou a crise, assim como a decisão da Justiça de não condenar Wilson pela morte do rapaz. Uma das questões que deram força aos protestos foi a sensação de que a vida de negros vale menos, nos EUA.

QUAL FOI O IMPACTO DESSES PROTESTOS?
As manifestações de 2014 colocaram mais uma vez em evidência o persistente racismo nos EUA. No quadro abaixo é possível ver, por exemplo, que a maior parte dos crimes de ódio nesse país têm negros como alvos. Negros são também maioria entre as vítimas de violência policial. Os protestos parecem ter surtido um efeito positivo: esta pesquisa mostra que há mais pessoas identificando a injustiça no tratamento a negros, e esta outra pesquisa mostra um aumento no número de americanos que aponta o racismo como um grande problema nos EUA.

 

 

MAS POR QUE HÁ PROTESTOS MAIS UMA VEZ, NESTE ANO?
Manifestantes foram às ruas para relembrar a morte de Brown após um ano. Um policial baleou e feriu gravemente o jovem negro Tyrone Harris Jr. durante os protestos de domingo (9), levando o condado de Saint Louis –onde Ferguson está localizada– a declarar o Estado de emergência. Ademais, persistem as razões que levaram às manifestações do ano passado, como a violência policial e a desigualdade social.

 

 

O QUE MAIS EU DEVERIA LER SOBRE ESTE CASO?
Além da cobertura da Folha? O site Vox.com tem um excelente esquema explicando os protestos de Ferguson. O jornal espanhol “El País” publicou uma galeria de fotos das manifestações. O diário americano “New York Times” relata as acusações contra dois jornalistas que cobriram os protestos em 2014. A revista “Slate” diz que os protestos de Ferguson mudaram os EUA. O jornal americano “Washington Post” investigou as 595 mortes por policiais neste ano.