Onde irá acontecer o próximo ataque terrorista?

Por Diogo Bercito

O jornal “Telegraph” publicou um curioso mapa das 64 cidades sob “risco extremo” de ser alvo de um ataque terrorista. A maior parte delas está no Oriente Médio, mas há três também na Europa. A notícia causou algum furor, e também protesto entre moradores dos países que aparecem com a indicação de maior risco, como o Líbano (um blog local contestou, por exemplo, o critério da pesquisa).

De acordo com a lista, a cidade com maior perigo é Bagdá. O Iraque, aliás, tem seis cidades no ranking. A lista foi elaborada a partir da intensidade de ataques durante 12 meses e do número e gravidade dos incidentes dos cinco anos anteriores.

As cidades europeias que aparecem no mapa são Luhansk, Donetsk (Ucrânia) e Grozy (Rússia). Na América Latina, a única mencionada é Cáli, na Colômbia. Paris, que não está entre as 64 mais perigosas, é citada pela pesquisa como um local onde houve crescimento do risco devido ao atentado que matou artistas no semanário “Charlie Hebdo”, no início do ano.

Mapa com cidades sob maior risco de atentados. Clique para ampliar.
Mapa com cidades sob maior risco de atentados. Clique para ampliar.

Há de fato uma série de questões problemáticas no mapa, como foi debatido nas últimas semanas. Por exemplo, a pesquisa inclui seis cidades libanesas, entre elas Jounieh e Byblos –que não parecem estar sob risco de ataques, ao contrário de cidades fronteiriças como Arsal e Baalbek. Além disso, salvo engano, estou enxergando a cidade palestina de Ramallah dentro de Israel, quando ela deveria estar na Cisjordânia (a não ser que se trate de Ramle, o que também seria inusitado).

Mas outras cidades que constam da pesquisa, como o Cairo e Trípoli, têm de fato o seu risco. O mesmo vale para cidades iemenitas, iraquianas e sírias. Só não está claro, por ora, que tipo de ação pode ser tomada a partir deste mapa ou se a informação vai servir apenas como curiosidade.