Premiê indiano tira o selfie mais poderoso do mundo

Por Diogo Bercito

Narendra Modi, premiê da Índia, clicou na sexta-feira (15) o que o jornal “Wall Street Journal” considerou como possivelmente “o selfie mais poderoso do mundo”. Modi aparece na fotografia ao lado do premiê chinês Li Keqiang durante uma visita a um templo em Pequim. A imagem, segundo o diário, reúne “duas das pessoas mais poderosas de países com uma população combinada de cerca de 2,5 bilhões de pessoas –mais de um terço da humanidade– sem o envolvimento de um fotógrafo oficial”.

O jornal “Washington Post” também discutiu o selfie de Modi, levantando uma questão sobre o bloqueio ao uso do Twitter na China. Imagina-se que o premiê indiano tenha usado uma rede privada para conectar-se à rede social ou enviado a imagem a seus assessores fora do país.

É a primeira vez em que o premiê chinês Li aparece em um selfie, mas aparentemente a prática é comum para sua contraparte indiana. Modi tem 12 milhões de seguidores no Twitter, onde ele publica fotografias de si mesmo com outras personalidades (ou imagens dos bastidores de seus próprios selfies, mais na linha metalinguística).

Tamanha é a adoção do selfie pelo premiê indiano que a sua equipe promoveu o hashtag (código para marcar publicações no Twitter) #selfiewithmodi –selfie com o Modi.

Segundo o “Washington Post”,

O voto em 2014 que trouxe Modi ao poder foi à época apelidado “a primeira eleição de mídia social na Índia”. Agora, quase um ano depois, a equipe de Modi parece ter percebido que selfies e outras táticas de mídias sociais podem ajudar a formar a imagem do líder do BJP, que é visto com suspeita por seus vínculos com grupos fundamentalistas hindus e protestos anti-muçulmanos em Gujarat quando ele era ministro-chefe do Estado em 2002.