4 mapas que explicam a Europa

Por Diogo Bercito
A Europa à noite. Crédito NASA Earth Observatory

A foto do continente europeu, à noite, brilha. As luzes das cidades marcam os contornos da região que, em tempos ainda eurocêntricos, faz parte da base da nossa cultura.  Em um aeroporto europeu, à espera de um voo, me deparei há pouco com uma compilação de mapas que tentam explicar esse amontoado de países bem pouco homogêneo (clique aqui). Selecionei quatro deles para ilustrar as seguintes afirmações:

1) A Europa está unida. Apesar de que a ausência de alguns deles na União Europeia, como Noruega e Suíça, dar conta de que a união fiscal da maioria não significa que o bloco equivalha necessariamente a uma “identidade europeia”.

A União Europeia. Crédito UE

2) Mas fala muitas línguas. Tirando aquela gigante mancha verde à direita, referente aos países que falam majoritariamente russo, a Europa é marcada por um punhado de línguas. No caso da Espanha, são ao menos quatro no território nacional –castelhano, basco, catalão e galego.

Línguas faladas na Europa. Crédito Vox/Eurostat

3) Nem todo o mundo tem emprego. Notem as altas taxas nos países no foco da crise financeira, como Espanha, Itália e Grécia, na região mediterrânea. Bons índices, por outro lado, na região de influência alemã.

Desemprego europeu. Crédito Vox/Eurostat

4) O continente está na tal “melhor idade”. O mapa abaixo mostra a percentagem da população que supera os 65 anos de idade. Nos países com cor mais forte, são mais de 20% dos habitantes. É ótimo, é claro, mas é também um desafio econômico ao Estado de bem-estar social, com gastos em pensão e saúde.

População acima de 65 anos. Crédito Wikipedia