O que você talvez não saiba sobre a Escócia

Por Diogo Bercito

Fón, fón, fón.

O que é isso?
Sou eu tocando uma gaita de foles das terras altas. É meu jeitinho de introduzir o assunto e dizer: não, você não sabe tudo sobre a Escócia. A não ser que saiba. Mas, em ambos os casos, o Mundialíssimo blog reúne aqui uma lista de algumas coisas que definem esse país para além do referendo de independência.

Que referendo?
A Escócia vota hoje, quinta-feira (18), para separar-se do Reino Unido. As pesquisas apontam uma ligeira vitória do “não”, mas o resultado só estará claro após as contagens. Conversamos sobre isso no início da semana, e se precisar retomar o tema clique aqui para lembrar-se do que está acontecendo na Escócia.

Voltando à gaita?
Ah, sim. É um dos esportes nacionais. Como sua versão irlandesa, e também como a versão tocada ao redor do Reino Unido, a gaita de foles das terras altas existe na Escócia ao menos desde o século 15, apesar de ter sido soprada rumo ao desuso nos dois últimos séculos.

Já que estamos conversando sobre esporte, como ficam as equipes, se a Escócia se tornar independente?
Imagina-se que a Escócia não consiga, por exemplo, formar um time a tempo de concorrer nas Olimpíadas do Rio, em 2016 (leia um texto do britânico Guardian clicando aqui). O mesmo jornal nota, em outra reportagem, que as políticas públicas de esporte teriam de ser readaptadas, e o financiamento das equipes será um tema importante caso o “sim” vença.

O que mais existe na Escócia?
Vacas com topete. Sério. A chamada “vaca das terras altas” é criada nas pastagens escocesas como um de seus produtos nacionais. Há registro dessa espécie desde o século 18, com um livro mais tarde descrevendo suas variedades, com data de 1885. A Sociedade da Vaca das Terras Altas reúne informações em sua página oficial, que você pode ler clicando aqui.

A vaca das terras altas, típica da Escócia

O que não existe?
O Monstro do Lago Ness. Apesar da boa vontade de todos os mitólogos de plantão, a criatura simplesmente nunca foi documentada. Há uma série de relatos e de imagens, como a clássica fotografia de 1934, mas as evidências são todas descartadas. Seus simpatizantes sugerem que o Nessie, como é apelidado, seja um tipo de dinossauro surgido no triássico. Há, também, menções a um monstro nas imediações do lago Ness na literatura escocesa do século 6º. Mas, para além das teorias, a criatura ainda é somente uma fotomontagem desfocada de quase cem anos atrás.

A suposta fotografia de 1934.
A suposta fotografia de 1934

Estou desolado. Preciso de um drinque. Sugestões?
Bem, já que você tocou no assunto, sim: uísque escocês. Envelhecido por anos em tonéis de carvalho e tradicionalmente apenas feito de cevada, o scotch é um dos fenômenos nacionais na Escócia. Uma complicada legislação decide o que pode ser chamado de scotch –por exemplo, tem de ser feito na Escócia de uma certa maneira, envelhecer por no mínimo três anos e conter no mínimo 40% de álcool.

40% de álcool? Já estou vendo coisas. Aquilo ali é um cavalo com um chifre só?
Não, é um unicórnio. Assim como o Monstro do Lago Ness, é uma criatura mitológica. Sim, isso quer dizer que ele também não existe. Mas, sendo real ou não, o unicórnio é o animal nacional da Escócia –e representa esse território no brasão do Reino Unido, ao lado do leão britânico.